MORFOMETRIA: VOLUME DE CADA GUANANDI ADULTO E QUANTIDADE POR HECTARE

Apresentamos a seguir a metodologia, os dados e os cálculos que utilizamos para prever o resultado, em volume de madeira, que cada indivíduo adulto gerará, a saber:

ϒ Altura comercial (HC): Esperamos que as árvores atinjam altura total perto dos 17,00 metros e consideramos que 12,00 metros deste total são comerciais. A altura comercial foi definida até o diâmetro de 20 centímetros.


ϒ Qualidade do tronco (FA): A forma do fuste pode variar. Segundo o “Manual para Produção de Madeira na Amazônia”: “Os troncos variam em termos de qualidade comercial. Os troncos retos, cilíndricos e sem ocos são classificados como “bons” para uso madeireiro. Os troncos retos, mas com ocos pequenos ao longo de toda a tora, ou troncos tortuosos, mas sem ocos são classificados como “regulares”. Por sua vez, os troncos tortuosos e com presença de ocos possuem qualidade “inferior”.

ϒ Na tabela abaixo temos uma relação entre a qualidade do tronco e a proporção de aproveitamento do seu volume. O fator indicado nessa tabela (FA) é multiplicado pelo volume total. Daí teremos o volume comercial aproveitável.

ϒ Para o nosso caso, como trata-se de florestamento e ficarão apenas as melhores árvores para o final, adotamos o fator de aproveitamento 0,90.

ϒ Diâmetro (DAP): Os diâmetros das árvores são normalmente medidos com suta, ao nível do peito, a 1,30 metros do solo. A esta medida dá-se o nome de DAP (diâmetro à altura do peito). Na época de corte prevemos um DAP de 38 centímetros. Com a casaca possuindo 1,5 centímetros de espessura temos livres 35 centímetros.

ϒ Conicidade (CO): Em uma árvore a ser cortada, além do DAP, medindo-se o diâmetro nas alturas da base, 25%, 50%, 75% e 100 % da altura comercial podemos observar a conicidade (CO) da tora. Para levar em conta esta redução de diâmetro adotamos, no cálculo do volume, um fator de conicidade equivalente a 0,80.

ϒ Cálculo do volume comercial (VCom): Cada árvore de Guanandi adulto deverá fornecer, em média, 0,8313 m3 de madeira. Para calcular o volume de cada árvore deve-se utilizar as informações sobre o diâmetro à altura do peito (DAP), altura comercial e qualidade do tronco. Usamos a seguinte fórmula:

 
VCom (m³) =  (π x DAP² x HC x FA x CO)/4, onde:
  ◊ VCom = Volume de madeira comercial em metros cúbicos.
◊ DAP = Diâmetro à altura do peito (0,35 m).
◊ HC = Altura comercial (12,00 m).
◊ FA = Fator de aproveitamento (0,90).
◊ CO = Fator de conicidade (0,80).

 

Para o plantio das mudas, observando o grau de esbeltez e o diâmetro da copa (dentre outras variáveis) nos indivíduos adultos que visitamos, adotamos o espaçamento inicial de 3,00 metros por 3,00 metros. São 1.110 árvores por hectare. Ao final, liberando espaço ao redor das árvores que ficarão com os desbastes, estimamos ter 278 árvores por hectare (Qha). Este é um número para a área útil de cada projeto (sem contemplar reserva legal, passagens ou áreas de preservação).